Trilha Cidadã

Posts Tagged ‘Cidadania

Povo sem vez e sem voz
Com fé, esperança atua
Todo ano vai à rua
Gritar para ser ouvido

O Grito é um espaço de participação livre e popular, onde os movimentos sociais, pastorais socias, ONGs e entidades querem chamar a atenção da sociedade para as desigualdades sociais no Brasil, ao mesmo tempo que trazem o anseio por mudanças.

Quando e onde? 7 de setembro, em Porto Alegre

Que horas? A concentração será a partir das 8h30min, no Largo Glênio Peres, em frente ao Mercado Público. Segue após pela Borges de Medeiros e com encerramento na Redenção.

As Pastorais da Juventude e o Levante Popular da Juventude, na parte da tarde, a partir das 13h30min, no Pão dos Pobres (Rua da República, 801 – Cidade Baixa) promoverão oficinas pautando a Campanha Nacional Contra a Violência e o Extermínio da Juventude!

Participem desta mobilização!

Anúncios

Jovens de caras pintadas, ocupando as ruas e espaços públicos, mostrando toda a sua alegria e jeito de viver. Até aparece que estamos lendo uma notícia de alguns anos atrás. Não se engane. Neste final de semana, 21 e 22 de agosto,  aconteceu uma grande manifestação envolvendo jovens da região metropolitana na cidade de Cachoeirinha. A atividade foi organizada pela Pastoral da Juventude em parceria com o Comitê Municipal Contra a Violência e o Extermínio de Jovens.

A ação teve por objetivo chamar a atenção da sociedade para os gritantes índices de mortalidade da juventude, em sua maioria, vítimas das drogas. O Brasil, atrás de Colômbia e Venezuela, é o 3º país com mais assassinatos de jovens no mundo. Isso se deve a uma taxa de 51,7 homicídios para cada 100 mil jovens. Taxa essa que entre 1994 e 2004 cresceu a um ritmo maior que o número de assassinatos entre a população total.

Para alertar a sociedade sobre essa realidade de morte, foram realizadas duas atividades no município. No sábado, os jovens estiveram em frente ao Shopping do Vale, local de maior movimentação de pedestres e motoristas, distribuindo materiais informativos. Durante a tarde do domingo, realizaram uma marcha até o Parcão de Cachoeirinha, local onde aconteceu um ato público pela vida dos jovens.


Fabrício Preto


Dança e música marcaram a primeira etapa da Escola Comungando Arte e Espiritualidade – Formação de Arteiros e Ateiras, entre dias os 17 e 18 de abril, no Centro Diocesano de Formação Pastoral (CDFP) em Caxias do Sul.

Aproximadamente 60 jovens participaram das oficinas que se diviram em três: Danças Circulares, Sagradas e Biodança, com Simone Moreira, do Núcléo de Assessoria Betânia de Porto Alegre, Percussão Corporal, com o músico caxiense Bob Valente e Instrumentos Musicais Reciclados, com Danilo Marinho e Samuca Mendonça, representantes da ONG Trilha Cidadã.

A primeira oficina abordou as expressões de dança de diversos povos, analisando a integração e a cooperação que elas ofercem, enquanto manifestação artística. A segunda utilizou o corpo como elemento fundamental na construção de processos musicais e a terceira lançou luz sobre a sustentabilidade, reutilizando materiais para fins artísticos.

Os Trilheiros Danilo e Samuca utilizaram garrafas pet, latas de tinta, garrafões de água, areia e latas de achocolatado para fazerem uma releitura de diversas músicas. Na oficina os jovens ajudaram a confeccionar os instrumentos e, em uníssono, entoaram a música Nego Nago ao ritmo do samba reggae. À noite as oficinas se reuniram na capela para apresentarem os resultados dos trabalhos desenvolvidos durante o dia e, num momento de partilha e reflexão mostraram a importância das atividades no fortalecimento da espiritualidade juvenil.

O 2º Festival da Cidadania, que acontece entre os dias 16 e 21 de abril tem movimentado toda a comunidade do Arroio da Manteiga. Na abertura, a oficina “Trabalho para a Vida, não para a Morte”, iniciou as atividades do festival no auditório da escola Santa Marta, ministrada por Ivete da Associação Meninos e Meninas de Progresso – (AMMEP). Cerca de 90 jovens participaram da oficina, que abordou como temática a relação entre o trabalho e a violência .

No sábado foi a vez do Cine Cidadania com o filme “Última Parada 174”, exibido para a comunidade na praça da Alta Tensão que contou com a presença de mais de 100 pessoas. Dentro da programação do sábado, também foi exibido o vídeo  “O que eu tenho ver com isso?” da série sobre Segurança Pública do Programa Nota 10 do Canal Futura. Entre os presentes, famílias e jovens acompanharam a projeção.

Hoje, na escola Paulo Couto, no Parque Mauá, Samuca e Sabrina ministraram as oficinas que abordaram os aspectos de gênero, jornada de trabalho, exploração de mão de obra assalariada e outros temas transversais ao universo juvenil, no mercado de trabalho. Apontando para perspectivas positivas como a sustentabilidade. Protagonismo juvenil foi o mote que mobilizou mais de 200 jovens a participarem da oficina.

Posted on: 12/03/2010

A nova publicação da Trilha Cidadã surgiu da necessidade de produzir uma sistematização das práticas de educadores, estudiosos da juventude e os próprios jovens sobre temáticas que interferem nesse universo juvenil. Procurando dialogar com a Campanha da Fraternidade 2010, cujo tema é “Economia e Vida”, Sustentabilidade, eis a questão: juventudes, trabalho e economia, está divido em dois volumes: um abordando aspectos teóricos e outro traçando um panorama das práticas juvenis frente a estas temáticas.

Proporcionar aos educadores sociais que se relacionam com a juventude uma melhor qualidade, do ponto de vista reflexivo, auxiliando no desenvolvimento social, político, cultural desses jovens, é uma das principais contribuições dessa publicação. Seu primeiro volume tem lançamento previsto para o dia 25 de abril no Centro de Espiritualidade Padre Arturo (CEPA).

Desenvolvido a partir da Semana da Cidadania, evento promovido anualmente pela Pastoral da Juventude do Brasil, o Festival da Cidadania tem o objetivo de pautar temas que envolvam a juventude como direitos sociais e humanos.

Proposto pela Ong Trilha Cidadã, Pastoral da Juventude, Rede de Comunidades São João Batista e por instituições sociais convidadas, a 2ª edição do festival prevê em sua programação oficinas temáticas descentralizadas, apresentações artísticas, debates, mostra de vídeos, feira de economia solidária e uma celebração ecumênica, compondo um cenário de fortalecimento dos grupos juvenis e das redes de relacionamentos institucionais que trabalham com a juventude.

O Festival da Cidadania acontecerá entre os dias 16 a 21 de abril, nas dependências do Centro de Espiritualidade Padre Arturo (CEPA), na comunidade São João Batista e em algumas escolas do bairro Arroio da Manteiga, tendo como temática principal a Campanha Nacional Contra a Violência e o Extermínio de Jovens.

Na primeira edição do festival a presença maciça de jovens marcou o início desta atividade, que ainda contou com a participação de cinco instituições e a circulação de mais de setecentas pessoas. Políticas Públicas para a juventude foi a tônica dos debates da primeira edição do festival, assim se configurando um conjunto de ações que vislumbrasse temas cotidianos que fizessem parte do dia a dia dos jovens da comunidade.

Diversas ações são geradas pelo Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (PRONASCI), como a Oficina de Economia Solidária e Inclusão Digital, por exemplo. Em São Leopoldo, o Curso de Informática e Cidadania, realizado pela ONG Trilha Cidadã em parceira com a Secretaria Municipal de Segurança Pública (SEMUSP) tem por objetivo diminuir os índices de violência através de ações sociais promovidas nas comunidades, atendendo a um público que varia entre 15 e 29 anos.

Desde 2005, a Trilha Cidadã vem realizando juntamente com a secretaria, projetos sociais, tendo como princípio a mobilização para o protagonismo juvenil, possibilitando, comprometendo e valorizando jovens e adolescentes atuantes em diferentes espaços. Assim, a Oficina de Informática e Cidadania se propõe, entre outras questões, não apenas capacitar os jovens nas áreas de informática, mas também contribuir para que os jovens tomem consciência sobre a importância das relações sociais e de uma participação cidadã.

Iniciado no último dia 09 de março, na Escola João Goulart, na Vila Braz, a atividade conta com a participação de 104 jovens e adolescentes. Com duração de 4 meses, o curso teve em seu primeiro dia de aula a apresentação dos educadores para os educandos e a fala da presidente da Trilha Cidadã, Fabiane Asquidamini, que esclareceu para os estudantes o que é o curso e a importância para sua formação dentro da comunidade.